Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Regiões Metropolitana Delta do Jacuí, Vale do Rio dos Sinos e Serra têm maior média salarial do RS em abril

Publicação:

Relatório Mensal
Relatório Mensal

Se ao longo dos últimos 12 meses o Rio Grande do Sul abriu 11,7 mil novas vagas de empregos formais, em abril de 2018 houve um saldo negativo de 1.252 postos de trabalho formal – o que corresponde a um recuo de 0,1% no estoque de empregos com carteira assinada. No mês, a economia gaúcha apresentou um total de 92.019 admitidos e 93.271 desligados, dos quais 24,8% dos desligamentos ocorreram a pedido do trabalhador. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (11) pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). A economia brasileira registrou em abril uma expansão de 0,3% no estoque de emprego formal.

Resumo Formal
Resumo Formal

Segundo Alfredo Meneghetti Neto, pesquisador e economista da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG), “no ano de 2018, a economia gaúcha está tendo uma atividade muito volátil. Isso tem reflexos em alguns setores, em função do comportamento de indicadores internos do Brasil e, principalmente, dos externos. Como a economia gaúcha tem uma abertura muito grande para outros países, as atividades lá fora repercutem aqui e tendem a continuar influenciando até o final do ano”.

Entre diversos indicadores da situação do emprego analisados está o salário dos gaúchos. Em abril, o salário médio de admissão foi de R$ 1.433 mil, superior aos R$ 1.414 mil registrados em março. O salário médio de admissão no Brasil foi de R$ 1,518 no mesmo mês. Os valores de abril evidenciam que, ao longo dos últimos 12 meses, os maiores valores recebidos pelos admitidos foram nas regiões de Metropolitano Delta do Jacuí, Vale do Rio dos Sinos e Serra. Os menores salários foram observados em Celeiro, Vale do Jaguarí e Médio Alto Uruguai.

Emprego por regiões do RS

Resumo por Gênero
Resumo por Gênero

Na análise por Coredes (Conselhos Regionais de Desenvolvimento), a variação do emprego formal ao longo dos últimos 12 meses teve como destaque o aumento de 2,4% na região da Campanha, 2,1% no Norte e 1,8% no Vale do Caí. O destaque negativo envolve a queda de 5,5% no estoque de emprego formal em Campos de Cima da Serra.

Gênero

Outro ponto avaliado é a situação no mercado de trabalho gaúcho conforme o gênero dos trabalhadores. Em abril, foram admitidos 52,8 mil homens no estado. Já a admissão entre as mulheres foi de 39,2 mil.

Em termos comparativos entre o Brasil e o Rio Grande do Sul, os dados revelam que o percentual de trabalhadores formais do gênero feminino admitidos em abril de 2018 foi de 38,4%, no Brasil e 42,6%, no Rio Grande do Sul. Considerando os últimos 12 meses, a participação média de trabalhadores do gênero feminino no Rio Grande do Sul (42,2%) também é superior à nacional (39,0%).

O salário das mulheres ainda é inferior ao dos homens. Em abril de 2018, a média salarial de admissão para indivíduos do gênero masculino foi de R$ 1.579, no Brasil, e R$ 1.508, no Rio Grande do Sul. Já a remuneração recebida por trabalhadores do gênero feminino contratados com carta assinada foi de R$ 1.420 e R$ 1.332, respectivamente, no Brasil e no estado. 

Relatório Completo

A análise do mercado de trabalho do RS é publicada mensalmente. O conteúdo completo, incluindo os setores produtivos, está disponível no site da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão http://planejamento.rs.gov.br/analise-de-emprego-e-desemprego

Texto: Anelise Rublescki / SPGG
Edição: Léa Aragón/ Secom

Secretaria do Planejamento, Governança e Gestão